Casa do Concelho do Sabugal

 

Assembleia Geral da Casa do Concelho de Sabugal

ACTA N.º 5/2010

Aos quinze dias do mês de Março do ano dois mil e dez, nas instalações da sede da Casa do Concelho de Sabugal, em Lisboa, reuniu a Assembleia Geral, em sessão ordinária, em segunda convocatória, pelas dezoito horas e quarenta minutos, a fim de analisar e deliberar sobre a seguinte

ORDEM DE TRABALHOS

Ponto Um:

 Ponto Dois:

  Ponto Três:

 Ponto Quatro:

 Ponto Cinco:

 Ponto Seis:

Discussão e aprovação do Relatório e Contas do ano de 2009;

 

Informações sobre a exploração do bar/restaurante, respectivas contas e relações contratuais desta actividade;

Relações com Câmara do Sabugal e outras entidades;

Contas da Capeia de 2009 e informações sobre a Capeia de 2010;

Substituição e eleição de membros para os órgãos sociais;

Apresentação e aprovação do plano de actividades para 2010.

Antes do início da sessão e dada a ausência dos Secretários da Mesa da Assembleia Geral, o seu Presidente propôs que os lugares fossem preenchidos pelo Dr. Joaquim Esteves Saloio e Dr. José Joaquim Amaral Marques, ao abrigo do artigo 20º dos Estatutos, proposta que foi aceite por unanimidade.

O Senhor Presidente da Mesa deu as boas vindas a todos os Sócios presentes e enalteceu a obra que ultimamente tem sido desenvolvida na Casa do Concelho do Sabugal. A obra realizada correspondeu às expectativas dos sócios e demonstra bem o espírito revelado pelas pessoas que, há cerca de três anos, viram o estado em que esta associação se encontrava e meteram mãos à obra com vista à sua recuperação.

Entretanto, o espírito raiano fez com que alguns sócios tenham unido esforços, tomando conta da gestão da Casa e tenham realizado uma obra que, com muita dedicação e sacrifício, conseguiu refazer a sua imagem, a ponto de nos podermos orgulhar de as dívidas estarem já, em grande parte liquidadas, ou pelo menos controladas.

Entrando no Ponto um da O. T., passou a palavra ao Senhor Presidente da Direcção, Sr. José Eduardo Lucas, que, por sua vez, solicitou ao Técnico Oficial de Contas, Sr. António Figueiredo, que comentasse as principais rubricas do Balanço e Demonstração de Resultados. Desta apresentação salientou que os Proveitos no exercício de 2009 atingiram o montante de 65.996,44 euros que comparou com 73.007,41 euros do ano 2008, que a Câmara Municipal do Sabugal concedeu donativos no montante global de 17.500,00 euros, que as despesas com pessoal elevaram-se a 16.399,54 euros e que na aquisição de dois fogões foram despendidos cerca de 3.000,00 Euros.

Por fim referiu que o resultado do exercício de 2009 atingiu o montante de 13.234,04 euros.

O Senhor Presidente da Direcção referiu os principais pagamentos efectuados pela Casa e que constam de documento anexo e respeitante a esta mesma Acta e donde se comprova que, à data de 31/12/2009 a Casa devia à Segurança Social 1.046,76 Euros e neste momento deve a um fornecedor da Casa 1.000,00, os quais não estão sujeitos a juros de mora.

Entretanto, o Dr. José Morgado de Carvalho e o Dr. Carlos Rito apresentaram e analisaram o Parecer do Conselho Fiscal e concluíram a sua exposição, propondo que a Assembleia aprovasse o Relatório e Contas da Casa.  

Depois de várias intervenções que tiveram a adequada resposta, todos os Sócios presentes se sentiram plenamente elucidados sobre a matéria em análise e não havendo mais inscrições para usar da palavra, o Presidente da Mesa colocou à votação o Relatório e Contas do exercício de 2009 o qual foi aprovado por maioria, com uma abstenção, motivada, conforme explicação do Sócio nº 392, pelo facto de não ter recebido, atempadamente, informação detalhada.

Passando ao ponto dois da Ordem de Trabalhos – Informações sobre a exploração do Bar/Restaurante, respectivas contas e relações contratuais desta actividade – o Senhor Presidente da Direcção, informou que durante o ano de 2009 as mercadorias vendidas no Bar atingiram o montante de 65.996,00 euros quando tinham apresentado um custo de aquisição de 40.746,53 euros e as existências representavam o total de 807,63 euros, no final do ano.

Também reconheceu que o restaurante tem beneficiado de mais frequentadores e agradeceu o esforço que alguns sócios têm desempenhado ao encaminharem os amigos para as refeições servidas na Casa.

Ponto Três: Relações com Câmara do Sabugal e outras entidades – Acerca deste assunto o Presidente da Mesa esclareceu que as relações institucionais com a Câmara do Sabugal são bastante boas, tal como acontece com a Empresa de Transportes Viúva Monteiro. Já não se poderá dizer o mesmo acerca das relações com a Confraria do Bucho que, segundo informou, a Confraria estabeleceu a sua sede na cidade do Sabugal quando havia sido constituída no seio da Casa do Concelho do Sabugal, em Lisboa.

O Dr. José Morgado de Carvalho, na qualidade de Vedor-Mor da Confraria, referiu o motivo de no ano transacto ter efectuado o jantar do Bucho na Cooperativa Militar e a constituição da sede da Confraria no Sabugal, deveu-se a uma imposição da Câmara que condicionou tal facto à atribuição de subsídios a favor da Confraria.

O Dr. José Joaquim Amaral Marques referiu que a Confraria do Bucho é pertença de toda a Raia e daí compreender bem a posição assumida pela Câmara Municipal do Sabugal.

Na mesma linha se pronunciou o Dr. Esteves Saloio que referiu ser a Câmara Municipal do Sabugal a entidade máxima do Concelho e o principal órgão aglutinador de todos os interesses dos naturais e amigos do concelho de Sabugal. Nós, os Sócios da Casa do Concelho de Sabugal, devemos mesmo ter um certo orgulho se pudermos contribuir para alguma melhoria das nossas gentes e da nossa terra. A Confraria do Bucho pode ter sido constituída, e é um facto, por Sócios da Casa do Concelho, mas todos eles são naturais, ou amigos, do Sabugal. Está na génese da constituição desta Casa o fazer algo de bom e útil para o nosso Concelho. Se a “ transferência” da sede da Confraria do Bucho para o Sabugal puder ser útil para as gentes do nosso concelho, tanto melhor, quer para a Casa quer para o Concelho. No concelho devemos preservar e não alienar aquilo que nos é típico e peculiar, como serão os casos do bucho e da capeia arraiana.

O Presidente da Mesa, uma vez que não havia mais inscrições para usar da palavra sintetizou o parecer de todos, concluindo que nesta transferência da sede da Confraria do Bucho para a cidade do Sabugal houve falta de comunicação a nível institucional e nesta assembleia tudo ficou devidamente esclarecido e tratado, pelo que ficava registado que a Casa sempre estaria disponível para acolher todas as iniciativas e proporcionaria sempre as melhores condições possíveis para o funcionamento da Confraria do Bucho.

Quanto ao ponto Quatro – Contas da Capeia de 2009 e informações sobre a Capeia de 2010 – o Senhor Presidente da Direcção, no uso da palavra, referiu que as Contas da Capeia já estavam incluídas no Relatório e Contas do Ponto Um, mas pretendia realçar que a Capeia de 2009 apresentou um saldo positivo da conta corrente de 9.744,45 euros. Postas, no entanto, a votação, foram aprovadas, com uma abstenção, as Contas da Capeia de 2009.

Acerca do Ponto Cinco da Ordem de Trabalhos o Presidente da Mesa disse que iria convocar o Acto Eleitoral para os Órgãos Sociais da Casa do Concelho de Sabugal para o próximo mês de Setembro, pelo que os interessados deveriam começar a pensar na constituição de eventuais listas candidatas.

Passando ao Ponto Seis da Ordem de Trabalhos o Senhor Presidente da Direcção referiu as principais actividades previstas para o corrente ano, nomeadamente a Capeia que terá lugar no Campo Pequeno, em Lisboa, no próximo dia 29 de Maio, o Almoço de Aniversário da Casa no próximo dia 27 de Março, além das acções consuetudinárias da normal actividade de instituições similares.

O Senhor Esteves Carreirinha deu conta das dificuldades em arranjar o forcão para a Capeia deste ano, uma vez que a Aldeia da Ponte, ao contrário do que se tem verificado em todos os anos anteriores, não poderá disponibilizar, gratuitamente, o forcão da aldeia, uma vez que estão previstas quatro touradas por ano em Aldeia da Ponte.

O Plano de Actividades apresentado foi aprovado por unanimidade.

Antes do encerramento da assembleia, o Dr. José Morgado de Carvalho, Presidente do Conselho Fiscal, apresentou uma proposta no sentido de ser conferido um voto de confiança à mesa desta assembleia para a elaboração da Acta directamente no Livro de Actas da Mesa da Assembleia Geral, proposta que foi aprovada, por unanimidade.

Nada mais havendo a tratar, o Presidente da Assembleia deu por encerrada a sessão, pelas vinte horas e trinta minutos, dela se lavrando a presente acta que vai ser assinada pelos membros que constituíram a Mesa.     

O Presidente da Mesa

José Luís Martins Tomé

O Secretário

Joaquim Esteves Saloio

O Secretário

José Joaquim Amaral Marques